Monday, January 28, 2008

Amo-te
A ti
Que em mim estranho
Enorme
Sem tamanho
Vida outra
Que me tenho

È teu
Outro mundo
Habitas-me
O fundo
Minha sombra chinesa
Apetite rotundo
Noite certeza

Mascaras-te
De mim
E sim
Tens-me vida
E eu
Que sou teu
Sonho-te na ferida.

2 comments:

Papoila said...

Alguém me segredou o teu verbo.... vim espreitar. Gostei e vou passar mais vezes.

BF

Raquel Vasconcelos said...

Sigo os teus passos, a hora permite que pise a tua sombra mas não emites nem um ai...
Não me sentes porque sou invisível, guardo a minha opacidade para o mundano e esta invisibilidade para ti.
Nem um ai...
Não me pressentes porque a vida e a morte são o verso e o reverso de um mesmo olhar...

Estou com a Papoila... Vou voltar mais vezes :)

--
daqui,
Raquel Vasconcelos
A Páginas Tantas...
Avoid Ch(k)aos
Le Secret des Papillons
http://www.blogger.com/profile/1263561

Parágrafos Inacabados
www.paragrafosinacabados.blogspot.com