Tuesday, December 30, 2008

Meus amigos cães
Gostava que soubessem ler
Tal como sabem amar
E dar-me alegria pela vossa generosidade

Gostava que soubessem ler
Tendo eu o talento suficiente
E vos escrevesse um poema
Uma ode
Uma epopeia rimada
Algo de tanta elevação estética
Que vos conseguisse alcançar
Na vossa pureza afectuosa
No vosso brilho por me ver chegar
Na simplicidade sábia com que amam

Tivesse eu talento
Meus queridos cães
E vós soubessem ler
Escreveria belamente o amor que vos tenho
Para que o soubessem, meus amigos
Teriam dele mais certeza, talvez
Por o ver em coisa escrita.

Porém
Ainda bem que não sabem ler
Ainda bem que não tenho talento
Porque isto pouco importa
Quando daqui a pouco
Estiver no chão da sala
A rebolar-me convosco às gargalhadas
Enquanto tentam morder-me as orelhas.

2 comments:

Adriana said...

Oi! Tudo bem?
Por acaso procurando o site da prima Geane encontrei vc...Não sei se vc lembra.. fiz uma aula de Biodanza quando estive em Portugal junto com meu esposo...
Grande abraço,
Adriana

Anonymous said...

Adorei este poema!!!
Percebo perfeitamente o amor k sente pelos cães!!
Parabens por ser capaz de sentimentos Tão nobres.
Beijinhos
Angela