Wednesday, March 31, 2010

Sim, eu sei

Eu entendo

Essa dor que confunde

Que estilhaça por dentro



Parece um sentir sem sentido

Um abismo que acena

Para a queda



Eu sei,

Custa muito

Lidar com feridas

Tão grandes

Que parece que

Somos ferida

Que somos dor



Sim, eu sei

Que por doer tanto

Apetece fugir

Saltar para longe

De quem somos



Eu entendo

Custa muito

E parece que

Todos os abraços

Do mundo

Não chegam



Para limpar as lágrimas

Do fundo secreto de nós mesmos



Nesse centro do labirinto

Onde estão as feras

Que temos medo que nos devorem



Eu sei, porque aí estive

E a dançar, no terreiro do amor

Fui descobrindo o caminho de volta

Para o céu dos abraços

Para a paisagem dos encontros

E dos olhares de cura



Vem

Dança connosco

Deixa-nos abraçar-te

Deixa-nos olhar-te

Dizer-te que tudo está bem

Que tudo está certo



O abismo não é abismo

É a antecâmera do voo

Nas asas douradas do amor



E as feras, depois de olhadas

São apenas sombras à procura da luz

Trá-las para dançar também




E deixa encantarmo-nos

Com a beleza do teu ser.

1 comment:

Carla Máximo said...

Vem fazer-nos felizes, vem ser feliz!