Tuesday, January 9, 2007

Beijo-te como quem come
Para tornar tua carne
Minha carne

Quero-te dentro em mim
Enquanto entro em ti
Em eus de avesso

Estás quente, quente
E o suor que é rio
Da lava que me explodes

Dói-me o que te quero
E dói-me o que te entro
Termómetro da minha febre

Meio escuro meio luz
Aperto-te entre mim
No que me apertas em ti

E vejo, eu vejo
Esta mulher a quem beijo
Por te beijar assim

És tu, mulher que eu quero
E beijo-te porque te quero
E quero-te para beijar assim.

2 comments:

Clara said...

No escuro com luz de velas
Cheiro a canela
Pétalas vermelhas
Entre beijos, apertos, línguas, suores
Penetra-me entre gemidos de prazer
Seremos um só no desejo e no querer
Beija-me assim.

eu said...

... lindo!