Wednesday, January 24, 2007

Saboreio-te em mim
Quase como se tua pele já fosse minha pele
E teu cheiro já fosse meu cheiro

No deserto da multidão continuo deitado em teu abraço
E nas conversas de estranhos sinto-me na nossa casa de amor
Embrulhado na alegria dos nossos cobertores

Vejo-te no sorriso dos miúdos felizes por jogarem à bola
E nas caras vermelhas de tanto riso
Dos amigos que lembram a alegria de ser novo

Acordo contigo sempre que respiro este ar fresco
De andar na vida mais alto que eu
Confiança serena de já ser tudo

O céu que todos olham é nosso, minha querida
Porque o criamos com nossos beijos
Nos deuses lábios da nossa paixão.

1 comment:

Clara said...

Não posso fazer grandes comentários a este teu lindo poema...
Simplesmente lindo...
Deve ser bom saber que alguém nos sente e quer dessa maneira... não sei como será...
A alegria, as palavras não ditas mas compreendidas, os sorrisos, o acordar, o céu, as nuvens, o mar...
Não sei!

A tua feiticeira de sonhos.