Thursday, January 11, 2007

Vivo na fé de ti
Prosto-me no altar dos teus olhos
Quando me perco entre escolhos
De males que não pedi

Santificas-me com prazer
Rituais de pele e lábios
Suspiros astrolábios
Mapas de quem quer crescer

Louvor de religião profana
Mistério de cidade santa
É meu corpo que em ti canta
Glória aos véus, hossana

Invisíveis os salmos que te escrevo
De máscara as letras que aqui ponho
Descerão em ti no tempo do sonho
Sem segredo deles não me atrevo

Estou em amor peregrino
Buscando Graal no teu peito
No caminho mais estreito
Heróico feito o meu destino

Alegria ingénuo do acordar
Catedral de riso em coro
Procissão de mãos dadas no choro
De quem não quer mais que amar.

1 comment:

Clara said...

Simplesmente encantador!

Nunca deixas de sonhar, de ser a pessoa que só quer amar, sou como tu e só quero o mesmo...
Amar só por amar.

A tua feiticeira