Friday, January 5, 2007

Ser livre
Ser tudo
E tudo poder ser
Ser mar
Ser Mundo
E nada ser não ter

Viver o sonho
Comer a vida
E ter o céu como corpo
Saltar o nunca
Furar o não
Mudar destino com um sopro

E ter, ter, ter, ter
Tanto que não haja mais a querer
Nada, não ter mais nada a ser
Movimento absoluto de não fazer

Não ter limite, nunca
E ser, só sendo, a viver
No todo que me espera
De não ter dia de morrer.

1 comment:

Clara said...

Queremos tudo o que não temos e temos tudo o que não queremos.
Ser ou não ser...
Querer ou não querer...
Amar ou não amar...
Sonhar ou não sonhar...